Por isso, todo ato de solidariedade deve ser respondido e correspondido com mais e mais solidariedade classista: ESPERANÇAR É PRECISO!

 Aldo  Saúde  10/08/2017

RECEBI ALTA E ESTOU ME RECUPERANDO EM CASA!
Agradeço profundamente comovido com as milhares de felicitações de pronto restabelecimento, preocupações vitais, melhoras e aconselhamento sobre essa cirurgia a que fui submetido. Suportando desconfortos, posterguei por um bom tempo a realização dessa cirurgia (colecistectomia - cirurgia de vesícula), pois somos muitas vezes pautados pela conjuntura: os combates foram e continuam intensos e as lutas e o tempo não param como afirmava o filósofo, compositor e cantor Agenor de Miranda Araújo Neto, conhecido como Cazuza. Porém, a dor estava aumentando e não dava para esperar mais.
Esse meu agradecimento vem acompanhado de uma linda e significativa metáfora sobre a persistência da vida, que, embora não correspondam necessariamente aos tempos cronológicos, serve de reflexão sobre a necessidade de enfrentar em vida as adversidades factuais que se põem, contribuir com o processo histórico revolucionário a que todos somos chamados e planejar e replanejar o nosso tempo, em conexão com o tempo coletivo/comulativo, escrevendo estórias e histórias no curto tempo da dimensão humana e da “finitude biológica” a que todos somos implacavelmente condenados. 
Eis a metáfora: “A águia é a ave que possui a maior longevidade da espécie, chegando a viver setenta anos. Mas para chegar a essa idade, aos quarenta anos ela tem que tomar uma séria e difícil decisão. Nesta idade ela está com: As unhas compridas e flexíveis e não consegue mais agarrar as suas presas. O bico alongado e pontiagudo se curva, dificultando a caça. Apontando contra o peito estão as asas, envelhecidas e pesadas em função da grossura das penas, e voar se torna difícil. Então a águia só tem duas alternativas: Morrer ou enfrentar um dolorido processo de renovação que irá durar aproximadamente 150 dias. Este processo consiste em voar para o alto de uma montanha e se recolher em um ninho próximo a um paredão onde ela não necessite voar. Então, após encontrar esse lugar, a águia começa a bater com o bico contra a pedra até conseguir arrancá-lo. Após arrancá-lo, espera nascer um novo bico, com o qual vai depois arrancar suas unhas. Quando as novas unhas começam a nascer, ela passa a arrancar as velhas penas. Só então, após cinco meses, sai para o famoso voo de renovação, para viver por mais 30 anos.” (http://diariodebiologia.com/…/o-ritual-de-renovacao-da-agu…/)
Não sabemos quanto tempo cronológico teremos pela frente, mas sabemos que a vida é uma preciosidade irrefutável e como síntese das gerações passadas, protagonistas dos desafios do presente e projetistas de um novo futuro para a humanidade, somos, definitivamente, a matrix de um mundo sem fim e de uma história sem dono, pois a todos pertence, e de uma humanidade sem desumanos. 
Uma metáfora, uma história, um exemplo, um chamado e uma práxis , são partes constitutivas de nossas utopias, como afirma Angela Davis: “Eu realmente penso que utopia é quando a gente se move em novas direções e visões. Utopia no sentido de que necessitamos de visões para nos inspirar e ir para a frente,(...) como desenvolver novos valores revolucionários e, principalmente como desatrelar valores capitalistas de valores democráticos.”
Por isso, todo ato de solidariedade deve ser respondido e correspondido com mais e mais solidariedade classista: ESPERANÇAR É PRECISO!

ALDO SANTOS - PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO DOS PROFESSORES DE FILOSOFIA E FILÓSOFOS DO BRASIL, MEMBRO DA EXECUTIVA E DA COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS DO PSOL-SP, COORDENADOR DA SUBSEDE DA APEOESP EM SBC.