Pela readmissão dos professores da metodista já.

 Aldo  Cidades  15/12/2017

Centenas de alunos, professores (as) e entidades solidárias fizeram o uso da palavra em ato que debateu o contexto das demissões de mais de 50 professores(as) e apresentam calendário de luta pela readmissão dos docentes já.

Alunos e professores explicitaram que a gestão atual vem depreciando a instituição, desrespeitando os direitos trabalhistas e tratando os decentes de forma abjeta, com gravações de reuniões, assédio moral e conduta incompatível com uma instituição de destaque na formação de educadores (as) em nosso País.

Os estudantes demostraram energia e consciência na luta em defesa dos mestres, os professores que fizeram uso da palavra denunciaram as injustiças na forma e conteúdo das demissões, inclusive numa clara alusão a demissões de caráter ideológico, o sindicato Sinpro afirmou que vai usar de todos os recursos para que os decentes sejam readmitidos e várias entidades manifestaram solidariedade ativa para com os professores demitidos.

Numa canetada, estes gestores destruíram praticamente com a pós-graduação e outras graduações serão extintas como é o caso do curso de filosofia.

Nesse sentido foi aprovado a realização de um ato unificado com demais professores demitidos, no mês de janeiro na Paulista, denunciando os proponentes das reformas neoliberais, bem como a participação na Audiência pública que será realizada nesta quarta feira dia 20 de dezembro a partir das 19 horas na assembleia legislativa do Estado de São Paulo.

O sindicato informou que vai a busca da interlocução com a mantenedora para tentar reverter o quadro caótico que a universidade, os professores e estudantes se encontram.

No contexto das falas, observa-se já a aplicação das politicas aprovadas neste governo com a reforma trabalhista, o congelamento nos investimentos e no sucateamento da educação, dentre outras mazelas Temerosas.

O caminho e a saída contra esses ataques é o caminho das lutas, com união, organização e participação de professores (as) militantes contra os ataques neoliberais, rumo a construção de uma nova sociedade justa, igualitária e socialista.

Lutar, resistir e vencer é preciso!

Aldo Santos- Coordenador da subsede da apeoesp-sbc, Presidente da Associação dos Professores de Filosofia e Filósofos do Brasil-APROFFIB e militante do Psol