Novas filiações ao PSOL

 Aldo  Política  30/12/2017

 

Tenho frequentemente ido a ocupação povo sem medo em sbcampo, e por vezes, usando a palavra nas assembleias, dialogando com pessoas conhecidas ou não sobre a urgência da  união e organização da nossa classe explorada.

Uma ocupação sempre é um turbilhão na vida politica da cidade, das pessoas da ocupação, nas lideranças populares do MTST e na vida da militância que apoia e é solidária ao movimento da classe trabalhadora.

Uma ocupação também é uma escola da vanguarda, com o surgimento de novos quadros, que, a partir do movimento tomam consciência de classe,  compreendem seu papel histórico e diferenciam os aliados dos inimigos num  curto espaço de tempo.

Tudo é intenso numa ocupação, como numa greve ou  em outras manifestações que se colidem com os interesses antagônicos de classe, na relação capital/trabalho, entre direito a terra e moradia versus  a um dos pilares de sustentação do capitalismo que é a propriedade privada, dentre outros.

Já fui abordado por vários participantes do movimento e sempre tento motiva-los, pois, a única luta perdida na vida  é a que se deixa de participar e tomar partido.

 Hoje fiquei muito contente, pois  fui procurado por duas lideranças do movimento que me perguntaram  de que partido que eu era e sou, e ao comunicar  que sou de um partido de esquerda, do Psol, eles me perguntaram como fariam para participar deste partido. Falei do estatuto, do programa e da filiação partidária.

 Conversamos sobre a conjuntura política e as saídas do movimento popular nesta conjuntura, assim como sobre  as perspectivas eleitorais para 2018, e ao final, eles (Dianilton Gomes ou DG e Hélio da Conceição  dos Santos) preencheram a ficha de filiação, além de levarem  outras fichas  para filiar outros militantes, com o objetivo de  ajudar na organização e fortalecimento  do partido na cidade.

 Confesso que fiquei muito contente, pois num final de ano turbulento e Temeroso como 2017, tudo indica que em 2018 teremos novos atores na luta e construção partidária no município e região.

 Bem vindos todos e todas ao nosso partido, para que o mesmo de fato se transforme numa sigla com viabilidade eleitoral, elegendo Presidente, Governadores (as), Senadores (as), Deputados (as), Vereadores (as) comprometidos com a luta e destruição da sociedade capitalista em que vivemos, rumo a uma sociedade socialista.

Participar, resistir e politizar é preciso!

Aldo Santos-Membro da executiva do Psol-sbc, da Associação dos Filósofos  e do Movimento sindical dos Professores.