Movimento negro mostra sua cara.

 Aldo  Cidades  20/11/2017



MESMO ENFRENTANDO FORTE CHUVA, FOI REALIZADO NESTA TARDE DO DIA 20 DE NOVEMBRO DE 2017, A 14° MARCHA CONTRA O RACISMO E 
O GENOCÍDIO E POR UM PROJETO POLÍTICO DE VIDA PARA O POVO NEGRO. 
A CONCENTRAÇÃO OCORREU A PARTIR DAS 13 HORAS NO VÃO LIVRE DO MASP NA CAPITAL -SP.
FOI UMA BONITA E POLITIZADA MANIFESTAÇÃO COM UM POVO ALEGRE, CANTANDO, DANÇANDO E REMEMORANDO A NOSSA LUTA QUE FOI UMA VERDADEIRA TRAGEDIA HUMANA NESSES EM QUASE 400 ANOS DE ESCRAVIDÃO HUMANA. 
ALÉM DAS FALAS E DE APRESENTAÇÕES CULTURAIS O QUILOMBO DA PAULISTA FOI BASTANTE ANIMADOR.FOI UM MOMENTO DE PROFUNDA REFLEXÃO SOBRE O SIGNIFICADO DESTA DATA E DA NECESSIDADE IMEDIATA DA APROVAÇÃO DO FERIADO NACIONAL NO DIA 20 DE NOVEMBRO O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL. PARA NÓS QUE MOBILIZAMOS NESSA NOSSA DATA, CONSIDERAMOS QUE NO MÊS DA CONSCIÊNCIA NEGRA, AINDA TEREMOS SIGNIFICATIVAS AGENDAS REGIONAIS ATÉ O DIA 30/11. ENTENDEMOS QUE A MÚSICA QUE REPRESENTA ESTE MOMENTO DE REFLEXÃO É O NOSSO HINO: 
Canto Das Três Raças
Clara Nunes
Compositor:
Mauro Duarte E Paulo César Pinheiro
Ninguém ouviu
Um soluçar de dor
No canto do Brasil

Um lamento triste
Sempre ecoou
Desde que o índio guerreiro
Foi pro cativeiro
E de lá cantou

Negro entoou
Um canto de revolta pelos ares
No Quilombo dos Palmares
Onde se refugiou

Fora a luta dos Inconfidentes
Pela quebra das correntes
Nada adiantou

E de guerra em paz
De paz em guerra
Todo o povo dessa terra
Quando pode cantar
Canta de dor

ô, ô, ô, ô, ô, ô
ô, ô, ô, ô, ô, ô

ô, ô, ô, ô, ô, ô
ô, ô, ô, ô, ô, ô

E ecoa noite e dia
É ensurdecedor
Ai, mas que agonia
O canto do trabalhador

Esse canto que devia
Ser um canto de alegria
Soa apenas
Como um soluçar de dor
MESMO ORGANIZADOS, AINDA TEMOS MUITO A ORGANIZAR ETNICAMENTE E POLITICAMENTE.

SP, 20/11/2017
ALDO SANTOS. MILITANTE DO ESPAÇO CULTURAL LUIZA MAHIN