Moção de apoio a professora Márcia Friggi.

 Aldo  Cultura  24/08/2017

 

Acompanhamos estupefatos pelos jornais, redes sociais e veículos de comunicação em geral a agressão sofrida pela professora Márcia Friggi em 21 de agosto de 2017.
Essa agressão tem sido objeto de inúmeras especulações de solidariedade, conformismo e ódio por setores reacionários que tentam justifica o injustificável do ponto de vista ideológico. A professora mesmo agredida vem contextualizando seu sofrimento ao condenar o abandono da educação pelos governantes em geral, e, principalmente nos últimos anos. 


Em qualquer país a educação é prioridade efetiva e não apenas em época de eleição com propagandas enganosas e mentirosas. Sabemos que no cotidiano, que os educadores vêm sofrendo todo tipo de violência por conta da violência social que vem aumentando no país e por falta de paradigmas éticos e morais numa sociedade marcada por profunda corrupção dos mandatários do país em todos os níveis de governo. 


Educar o estudante é o nosso desafio, mais este desafio deve ser acompanhado por condições efetivas de trabalho, com boa remuneração, apoio pedagógico e escola dotada com infra-estrutura necessária para a efetivação do ato de aprendizagem. Num momento em que as mulheres vêm sendo vitimas de todo tipo de violência e agressões e morte precoce, através do feminicidio, não podemos aceitar estas justificativas absurdas, fazendo abordagens ideológicas esse e outros tipos de agressões. Os educadores são agredidos; toda vez que uma colega ou qualquer pessoa for agredida por quem quer que seja.


Neste sentido, nos solidarizamos com a professora e esperamos que fatos dessa natureza mereçam por parte dos educadores e educandos uma profunda reflexão sobre o papel necessário do ato de educar, do respeito aos mestres e da aliança permanente entre educadores e educandos.

SBCampo, Agosto de 2017-08-24

Coordenação da APEOESP-SBCAMPO.