Ganhar corações e mentes.

 Aldo  Educação  24/08/2017


Sempre buscamos entender o que a base quer, fazemos estudos,levantamos as reivindicações, organizamos a pauta montamos a assembleia, fazemos demonstrações com gráficos das perdas e ganhos, enfim, a base tem tudo o que precisa para se decidir pela greve, contudo as assembleias, são vazias, há muito bate boca,e a greve não sai.


O governo Temer, faz um ataque histórico aos trabalhadores, acaba com a CLT, quer acabar como atual Sistema de Previdência como o próprio nome sugere prever e prevenir com antecedência a velhice momento no qual estamos mais fracos e frágeis pela idade o que significa dizer aposentar, que nada mais é o momento em não estamos mais em condições de produzir como antes, por isso a aposentadoria, e mesmo sabendo do dilema que muitos brasileiros passam quando se aposentam, tanto pelo dinheiro que recebem os aposentados,quando pelo que gastam com remédios e muitos aposentados com o pouco que recebem ainda sustentam filhos, netos e arcam com grande parte das despesas em casa.Mesmo sabendo disso,ainda não se viu uma grande manifestação contra a retirada desse enorme e importante benefício,alguns acreditam que devida a importância o governo não irá mudar, outros, que as eleições estão aí e os deputados não irão se queimar, entretanto a Reforma da Previdência está pautada e será votada e sem nenhuma modificação , ou seja, irá retirar os benefícios que ela tem hoje e irá colocar outros como a idade mínima de 65 anos para se aposentar e 49 anos de contribuição e deve aumentar o valor descontado dos trabalhadores para a previdência, saindo dos atuais 11% e indo para uma porcentagem de desconto ainda maior.


Mas por quê é que os trabalhadores então não se movimentam, não lutam para impedir que isso aconteça?
Ao longo dos meus tantos anos de militância participei, organizei, falei em várias assembleias e sempre que um companheiro em sua fala,exaltava, instigava, dava garantias de sua fala e colocava os trabalhadores para sonhar e acreditar que é possível ganhar aquela luta,o animo dos trabalhadores aumentava,sempre que alguém mexia com o sentimento,e mostrava que valeria a pena apostar na luta, a greve ganhava mais e mais trabalhadores, mas toda vez que as falas nas assembleias se esquecia de levantar o moral dos trabalhadores, sempre tínhamos problemas em manter a greve e quando então aquele companheira que se achava o supra-sumo da intelectualidade estratégicas e "em nome da responsabilidade, propunha o retorno, ou às vezes dizia que já estava cansado e que já estamos muito dias em greve , o povo já está começando a cansar e estão voltando!"Quem faz isso, sabe muito bem o que quer,quer o fim da greve!
Não defendemos a greve pela greve diz uns,a greve é um questão tática, diz outros.Sim é verdade e concordo com isso, mas há duas formas de acabar com uma greve pelos trabalhadores :uma é ser vitorioso, outra é ser derrotado, propor sair de uma greve só porque ela está durando tempo demais e crime! Toda greve acaba na maioria das vezes é por falta de confiança na direção, pois a direção não foi suficiente capaz de manter a unidade.Há greves que são derrotados, claro que há, mas quando entramos em uma greve entramos porque acreditamos que os trabalhadores podem vencer! Mas mesmo assim elas são derrotados,aí pode ser que não avaliamos direito a conjuntura, mas os trabalhadores, sempre estão dispostos a ir até o fim,e muitas vezes ficam até o fim em respeito á sua direção, porque confia,sabe que a direção não abandona, que vai até o fim, se tiver desconto de salário, vai organizar um fundo de greve, vai pedir a solidariedade de outros sindicatos, vai prá rua pedir a colaboração de outros trabalhadores, enfim,com uma direção assim o trabalhador enfrenta mundo e fundos, mas já com aquele diretor que reproduz o discurso do medo,da desconfiança a base não vai com ele, nem na esquina.

Professor Benedito Aparecido - Dirigente da Apeoesp