Finalmente Filinto Muller deixa de ser nome de escola.

 Aldo  Mundo  14/11/2017

FINALMENTE FILINTO MULLER DEIXA DE SER NOME DE ESCOLA

Segundo reportagem publicada no jornal diário do grande abc, do dia 23 de outubro de 2017, a Escola Estadual Filinto Muller em Diadema passará a ser denominada de escola estadual Professora Sylvia Ramos Esquivel. O debate em torno do nome de Filinto Muller sempre foi motivo de questionamentos por parte das pessoas mais esclarecidas e comprometidas com a verdade histórica. 
No final da década de 80 lecionei nesta unidade escolar em Diadema, e na ocasião, cheguei a dialogar por várias vezes com os alunos (as) e alguns colegas sobre o absurdo de um colaborador direto com a ditadura e com o Nazismo ser nome de escola numa cidade operária como e militante do abc paulista. 
De fato defendo também uma revisão histórica em relação às denominações de próprios e logradouros públicos, pois via de regra, essas denominações representam um anti-exemplo educacional e significa uma agressão ao bom senso e a verdadeira história da maioria da população brasileira.
Quando vereador em São Bernardo Campo, enfrentei uma grande polêmica ao tomar conhecimento da figura quase que venerada de João Ramalho pela direita politiqueira; um degredado português, traficante de índios, ser nome de medalhas, uma honraria que a câmara municipal homenageia as pessoas ilustres que contribuíram e ainda contribuem com a cidade. Infelizmente, conheço vários logradouros públicos ostentando essas figuras, bem como nome de escoa como a escola João Ramalho em São Bernardo do campo, dentre outras.
Em Santo André tem uma enorme estátua de João Ramalho no Paço municipal que é defendida por quem desconhece o significado histórico do mesmo ou por quem se identifica com os algozes dos índios, escravos e operários. Também levantei questionamento sobre a Avenida 31 de março, Avenida Castelo Branco e sobre a Vila Mussolini e outras. Fui questionado e atraí muito ódio daqueles que defendem a história dos opressores e torturadores, representantes do nazismo, do fascismo e das ditaduras sanguinolentas que perduraram por anos em nosso país e em outras partes do mundo. 
Na condição de vereador apresentei e aprovamos várias denominações de Ruas, sempre de pessoas ilustre para suas famílias, para a comunidade e que lutaram para a manutenção e sustento heróico de suas vidas junto aos seus e do seu povo. 
Merecidamente esse nome de Filinto Muller de fato deve ser banido da história da vida dos estudantes, dos educadores (as) e essas mudanças também significam uma verdadeira faxina na história, colocando este povo no lixo da história e no esquecimento de suas trajetórias.
Senador por quatro mandatos, de 1947-1973, serviu a duas ditaduras, sendo um dos colaboradores com o nazismo e um dos responsáveis pela deportação de Olga Benário, companheira de Luis Carlos Prestes, que, mesmo grávida, foi levada para Alemanha , sendo executada numa câmara de Gás.
Quando lecionei nesta unidade escolar, defendia perante aos alunos que o Nome da escola deveria ser trocado por Escola Estadual Olga Benário.
Ainda segundo reportagem, a Secretaria Estadual de educação afirmou que em breve o nome será alterado administrativamente e posteriormente a fachada da escola. 
Seria importante que os estudantes, educadores (as) e a população em geral assistam o filme Olga, de Jayme Monjardim para perceberem o quanto esse facínora da ditadura foi desumano e cruel com uma pessoa que queria penas mudar o mundo, livre de toda e qualquer forma de opressão do capital e seus representantes.
A lista é grande de mudanças que devem ser feitas, a partir de todos os agentes da colonização, como as estátuas de Borba Gato, Domingos Jorge Velho, Bandeirantes e ditadores, representantes ainda de uma direita decrépita e abjeta.

Lutar, mudar e reescrever a história é preciso!

Aldo Santos- Professor e militante do psol.

foto Diário do Gabc