E uma justiça seletiva não é Justiça

 Aldo  Política  24/01/2018

Se Lula é inocente ou não eu não sei, mas que a Justiça no Brasil está invertida é bem visível! O ônus da prova cabe a quem acusa e não ao acusado; ora, no caso Lula e em outros casos (processos), os réus é que têm de provar a sua inocência, o que é totalmente errado! Isso acontecia no tempo da ditadura militar; então, em nome da Democracia e do Direito, por burgueses que sejam, respeitemos a Lei e a Justiça: que os acusadores provem a culpa do Lula e de outros réus do famigerado, desumano e medieval sistema prisional brasileiro, onde estão presos mais de 200 mil cidadãos sem julgamento, réus em prisão preventiva ou provisória; e isto é INJUSTIÇA, é ILEGAL!!! Com isso não podemos compactuar! A judicialização da política e a politização do judiciário é um grande mal para a Democracia e um caminho aberto para aventuras autoritárias que vemos pulular neste ano de eleição presidencial!!! Quem viveu qualquer ditadura sabe que a melhor das ditaduras não vale a pior das democracias! E uma justiça seletiva não é Justiça! Não às ditaduras, inclusive a das togas e da grande mídia golpista! 20/01/2017 - Prof. Chico Gretter - Mestre em Educação pela USP e presidente da APROFFESP