Como enganar o povo no cotidiano da política

 Aldo  Política  14/01/2018

10 métodos para se eleger vereador em Mauá:

- Promova reuniões aos domingos, cobrando uma "valor simbólico" pela participação e prometendo casas populares de programas habitacionais.

- Tenha um hospital particular e prometa a realização de cirurgias com valor reduzido.

- Promova festas noturnas para jovens, regadas a bebidas alcoólicas.

- Compre pastores, padres e líderes religiosos que te levarão ao púlpito e falarão que você é um "preparado por Deus" para governar a cidade.

- Distribua camisas de futebol a times amadores da cidade.

- Não faça falas, postagens ou discursos sobre temas polêmicos e necessários a real mudança da cidade. Lembre-se que isso fará você perder votos de uma parcela da população. Ou seja, não tenha opinião.

- Compre espaços em jornalecos sem credibilidade alguma e divulgue textos de autoajuda e benfeitorias que só começou a fazer já pensando em utilizá-la como propaganda eleitoral.

- Entre em um partido que te dará dinheiro para comprar pessoas, para pagar pessoas para entregar panfletos, segurar bandeiras, te defender nas redes sociais e falar bem de você.

- Se alie ao narcotráfico prometendo que eles continuarão sem problemas com a segurança pública caso seja eleito.

- Prometa emprego a pessoas sem capacidade técnica alguma para determinados cargos.

Consequências:

- Habitação para quem for indicado por alguns vereadores.

- Continuidade do caos na saúde pública, pois precisam desvalorizar o SUS para que os planos de saúde e hospitais particulares continuem lucrando.

- Jovens e demais cidadãos sem apoio para fomento a cultura na cidade.

- Projetos favorecendo igrejas e lideranças religiosas. Sem contar as lideranças religiosas que viram secretários de governo em pastas que nada entendem do assunto.

- Falta de lazer e prática esportiva, pois tem que haver a continuidade da dependência de um "vereador" para que o time continue.

- Vereadores que não realizam debates sobre os assuntos em votação.

- Jornais, blogs, páginas no Facebook que mais parecem perfis de propaganda do que de divulgação dos reais interesses dos cidadãos. Todas compradas justamente para essa divulgação.

- Partidos corruptos, pessoas que vendem o voto e ainda falam que são contra corrupção.

- Banditismo político. Quem ousar falar, sofre constantes ameaças.

- Serviços públicos sem qualidade devido a ausência de pessoas com capacidade técnica para realiza-los.

André Sapanos- Professor militantes do movimento Sindical e do Psol