15 de setembro: todas às ruas, nenhum direito a menos!

 Aldo  Mulheres em ação  13/09/2017

 

“Quem não se movimenta, não sente as correntes que o prendem. ” 
Rosa Luxemburgo
@s mestres com Carinho
Professoras e Professores do Estado do São Paulo, há mais de duas décadas a educação pública vem sendo sucateada com sucessivos ataques aos nossos direitos e uma brutal desvalorização salarial agravada pela crise política, econômica e sob tudo ética na qual o país está mergulhado.  
Não podemos continuar inertes diante dos ataques do governo golpista de Temer com as chamadas “Reformas” que na verdade são um desmonte das leis trabalhistas e retirada de direitos do conjunto da classe trabalhadora da qual fazemos parte. A categoria precisa se fortalecer para enfrentar as consequências da aprovação da Reforma do Ensino e barrar a implementação arbitraria no Estado de São Paulo onde Alckmin intensifica sua política nefasta de desmonte das escolas públicas e desvalorização da profissão docente, não bastasse os salários aviltantes, sem sequer corrigir a inflação dos últimos 3 anos,  atacam a todo momento nossa liberdade de cátedra, com interferência pedagógica imposição do uso das “cartilhas” ameaça de sindicância e outras formas burocráticas de coagir e limitar nossa liberdade. 
Na contramão da história vemos avançar propostas reacionárias como o projeto “Escola sem Partido” cujo título é na verdade uma “máscara de ferro” para nos amordaçar e garantir que somente seja transmito nas escolas a ideologia dos grupos dominantes que usurparam o poder e hoje “dão as cartas no Brasil’.  
No próximo dia 15 DE SETEMBRO temos a tarefa de construir UMA GRANDE ASSEMBLEIA para forçar o governo a atender nossa pauta de reivindicações com ênfase na Campanha Salarial, Não ao reajuste zero, Contra a Reforma da Previdência e Revogação da “Pec da Morte” TODAS ÀS RUAS” NENHUM DIREITO A MENOS!
É preciso Lutar, Resistir e não Desistir Jamais!

PROFESSORA LÚCIA PEIXOTO - FILÓSOFA